PROGRAMAÇÃO

Roda de conversa
A POÉTICA DE SOLANO TRINDADE
Com Zinho Trindade e convidados. Mediação de Irlani Carvalho

A POÉTICA DE SOLANO TRINDADE E SUA RELAÇÃO COM OS TERRITÓRIOS ÀS MARGENS 


Domingo, 20 de novembro, das 14h às 16h30


No ano de comemoração do bicentenário da Independência, e do centenário da Semana de 22, comemora-se também os 114 anos de nascimento do poeta Solano Trindade (1908-1974),  “O Poeta do Povo”. Seu poema mais famoso, “Tem gente com fome”, é ainda em nossos dias um convite para pensarmos o país e o papel da poesia em face das mazelas sociais. Para essa conversa, contamos com a participação de Zinho Trindade, bisneto do poeta e escritor.

Convidado: Washington Góes. 

Mediação: Irlani Carvalho.


A atividade será realizada no Jardim da Casa das Rosas. Endereço: Avenida Paulista, n. 37, Bela Vista, São Paulo, SP. Serão disponibilizadas 20 vagas para participação presencial. Inscrições até 20/11.

Para realizar sua inscrição, clique aqui.


Irlani Carvalho é formada em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp),  graduanda em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduada em Educação em Direitos Humanos pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Desde de 2014 desenvolve pesquisas e práticas de disseminação e democratização da cultura do livro e promoção do direito à literatura. Atualmente é educadora na Casa  Mário de Andrade.


Washington Góes é educador social. Graduado em Letras e mestre em Educação (PUC-SP). Especialista em Educação, Cultura e Relações Étnicos Raciais (USP). Pós-graduado em Socioeducação (UNB). Atua no coletivo Força Ativa e na biblioteca comunitária Solano Trindade em Cidade Tiradentes - SP. Trabalha como Técnico de Projetos no Programa Escrevendo o Futuro - Cenpec.


Zinho Trindade (Ayrton Félix Olinto de Souza) é poeta, compositor, escritor e cantor. Sua musicalidade dialoga no Hip Hop brasileiro. Um jeito de musicar com voz quilombola na comunidade urbana. Neto, bisneto e filho de artistas, seu sangue reflete sua música reivindicativa e cheia de suingue, através do maracatu, sambas e toques de Candomblé. 


Foto: Arquivo Nacional

MAPA DO SITE

Este site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.
Consulte sobre os Cookies e a Política de Privacidade para obter mais informações.

ACEITAR